quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Indas e vindas, desejos e desapegos

Fim de ano, formatura. Todas aquelas pessoas que passaram anos sentados ao seu lado, ali na carteira ao lado, que lhe emprestaram o lápis, a borracha, passaram um bilhetinho e a cola da prova. Aquelas que você achava que eram as mais importantes. Fim. Ali acabou aquela jornada. Cada um pra um lado. O contato se perde. E ansiosos partimos para uma nova fase. Faculdade, nova cidade, gente nova. Tanta coisa acontece que você nem tem tempo pra sentir saudades. Você mal tem tempo para se acostumar com o novo!

E por fim, os anos correm. Fogem de você. E o estágio começa, a calma, a rotina. Você era tão apressado para deixar seus pais, morar sozinho, crescer. E só então percebe, que aquele quarto solitário com que sempre sonhou, não é assim tão maravilhoso. Aquele silêncio e paz são um pouco incomodos. O que você quer é, na verdade, um pouco de companhia. Uma irmã pra dividir as novidades, a mãe para tirar dúvidas, um colega de quarto que te faça rir. Qualquer coisa que te tire daquele quarto sombrio e tedioso. Que distraia seus pensamentos insistentes.

E por fim, você suspira, fecha os olhos, relembra o passado, e desiste de voltar lá. Quando criança você só queria ser grande. Queria sair a noite, beber cerveja, usar salto alto e dirigir. Mas... Quando a gente finalmete chega lá, o que sobra? O que você quer? Ser mais grande?
"Maior" - corrigiria sua mãe.
"Ok mãe" - você fala, e repete. O que você quer agora?
Com saudades lembramos o passado. As brincadeiras bobas, aquela boneca, o videogame que não resistiu de tão usado. E com peso no coração desejamos ter sete anos. Queremos brincar e ser inocentes e não ter que crescer.
Seu celular toca, a realidade retorna. Fechamos as memórias naquele baú empoeirado, colocamos o salto que sempre quisemos usar, aquele que machuca tanto que nem conseguimos andar. Passamos o perfume que nos encatava quando nossos pais passavam. Sorrimos e partimos. Sempre em frente, indo para um novo momento. Abandonamos o antigo e simplesmente andamos em direção ao desconhecido áquela ambição diferente que encontramos quando 'crescer' já não era mais suficiente. Para no futuro, desejarmos voltar mais uns 10 anos, só pra reviver tudo de novo, aproveitar um pouco mais, não deixar aquela oportunidade passar. Porque somos assim, insatisfeitos, queremos tudo. E quando o temos, queremos de volta aquilo que não mais podemos ter....

Um comentário:

  1. Pior que é assim mesmo. Pra todo mundo.
    Muito bom, adorei o texto!

    ResponderExcluir